• Facebook

    Acesse nossa página no face para obter novidades.

  • Oportunidades

    Não se esqueça de olhar a página de oportunidades, todas as vagas para estágios oferecidas estarão lá.

  • Calendário Academico

    Já está disponível o calendário academico de 2017. Não perca a datas das provas!

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Wove, computador flexível em formato de relógio, chega em 2016


Relógio vai usar versão customizada do Android 5.1 (Foto: Reprodução/Wove)
A era dos dispositivos vestíveis chegou para ficar, o que significa que os aparelhos da área tendem a se tornarem cada vez mais especializados e diferentes de gadgets como smartphones e tablets. 
Um exemplo é o Wove, um relógio inteligente que se destaca por ser o primeiro do tipo a possuir uma tela flexível que permite ser enrolada ao redor do pulso do usuário, aumentando sua área útil. O produto ainda está em fase de testes, mas deve chegar ao mercado na metade de 2016.
O Wove possui tela touch screen com 30 x 156 mm de área total e capacidade para resolução de 1040×200 pixels. Ela pode se conectar através de Bluetooth 4.0 e possui 4 GB de armazenamento máximo, além de 512 MB de memória RAM. A tela, no momento, está disponível apenas em preto e branco, mas uma versão colorida deve estar disponível no futuro.

O hardware é composto de um processador Freescale i.MX7 Dual Core Cortex-A7, sensor de movimento de nove eixos, incluindo acelerômetro e giroscópio, motor de vibração e bateria de 230 mAh.

O relógio possui um sistema operacional específico chamado Wove OS, que foi baseado no Android 5.1 e será disponibilizado em código aberto para que desenvolvedores possam criar seus próprios aplicativos antes mesmo do primeiro protótipo chegar ao mercado, o que deve acontecer em dezembro. O Wove possui suporte a Java, HTML5, CSS3, Javascript e ferramentas gráficas.
Relógio possui tela flexível que pode girar ao redor do pulso (Foto: Reprodução/Wove)
O Wove foi criado pela Polyera, que há dez anos estuda e desenvolve a tecnologia para telas dobráveis. A expectativa, segundo seu CEO, Phil Inagaki, é criar um produto que tenha sido desenhado desde o início para o pulso, e não seja apenas um smartphone com tela menor.

Para isto, a empresa quer explorar a forma como o usuário interage com a tela do Wove, que é maior que a de um smartwatch comum. Um exemplo é a forma como o relógio interage com notificações: ao receber uma mensagem, o usuário não precisaria tocar na tela para lê-la, bastando apenas girar o pulso para que ela abra automaticamente.
A versão final do Wove ainda deve passar por revisões de design voltadas a tornar o produto mais elegante. A expectativa é que o relógio seja vendido em diversas cores. O preço final dele ainda não foi revelado, mas a Polyvera adiantou que ele deve ser mais barato que os concorrentes atuais disponíveis no mercado.

Fonte: Wove

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Já conhece o USB Armory?

Computador usa componentes pequenos e é do tamanho de um USB (Foto: Reprodução/Crowd Supply)

Mini PC em formato de pen drive promete mais segurança, USB Armory , mede aproximadamente 65 x 19 x 6 mm. Ele é equipado com uma placa Freescale i.MX53 ARM Cortex-A8 de 800MHz e possui 512 MB de memória RAM DDR3, compatibilidade para cartão microSD e um LED que pode ser controlado pelo usuário a vontade.

Ele pode ser conectado a outro computador através de uma entrada USB e, a partir daí, dependendo das necessidades do usuário, ser usado de várias maneiras, como armazenamento de dados criptografados, roteador para Tor, armazenamento de Ele foi desenvolvido para rodar distribuições de Linux, ou seja, softwares de código aberto. O sistema operacional padrão são as distribuições Debian ou Ubuntu, que são carregadas a partir do cartão SD

A Inverse Path, fabricante do Armory, também disponibiliza um adaptador USB, que permite que ele seja usado em conjunto com hubs para conectar outros periféricos, como telas, teclados, mouses ou mesmo dongles para acesso à Internet.

O ponto forte do acessório é que ele pode ser usado como dispositivo extra de segurança, armazenando dados criptografados ou senhas, dificultando que elas sejam roubadas caso ele seja usado mesmo em computadores com pouca proteção. O grande problema do Armory, por outro lado, é que ele é voltado para pessoas experientes em Linux, já que toda a sua configuração deve ser feita manualmente. Isto acaba afastando o usuário comum, que precisa de uma solução mais simples e intuitiva para seus problemas.

O Armory ainda está em fase de desenvolvimento e deve chegar as lojas a partir de novembro de 2015. O computador já está em pré-venda e pode ser comprado por US$ 130 (cerca de R$ 510). Ele pode vir acompanhado de um cartão SD de 32 GB com Debian pré-instalado ao custo de US$ 30 (R$ 117).

O adaptador USB, por sua vez, sai por US$ 10 (R$ 39) e uma capa de proteção para o stick é vendida por US$ 15 (R$ 60). A entrega pode ser feita no Brasil por um adicional de US$ 5 (R$ 20).
Fonte: TechTudo

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Kit para Windows 10 de Internet Of Things funciona com Raspberry Pi 2

A Microsoft lançou um kit desenvolvimento que promete facilitar o caminho de quem deseja se aventurar por sua nova plataforma para dispositivos inteligentes usando um Raspberry Pi 2. O Windows IoT Core Starter Kit contém todo o material necessário para começar a explorar as possibilidades do sistema operacional feito para a Internet das Coisas, incluindo até um cartão de memória com essa versão do Windows instalada.
Disponibilizado para compra desde a data 24/09/2015, porém, o kit já se encontra esgotado.
Microsoft lança kit para desenvolvedores com instruções básicas do Windows IoT Core (Foto: Divulgação)Microsoft lança kit para desenvolvedores com instruções básicas do Windows IoT Core (Foto: Divulgação)
Além do cartão de memória com o Windows pré-carregado, o kit que atraiu tanto a atenção dos desenvolvedores a ponto de se esgotar em poucos dias consiste de um conjunto de sensores compatíveis, componentes eletrônicos, fios e cabos que foram verificados para funcionar com o Windows 10 IoT Core alguns códigos básicos para começar a criar um projeto de Internet das Coisas imediatamente.
Kit também acompanha sensores e cabos certificados pela Microsoft (Foto: Divulgação)Kit também acompanha sensores e cabos certificados pela Microsoft (Foto: Divulgação)
Embora ainda não haja previsão para que o kit possa ser comprado novamente, é possível receber uma notificação de disponibilidade fornecendo seu e-mail no site da Adafruit, parceira da Microsoft que fornece o kit. O conjunto contendo um Raspberry Pi 2 custa US$ 114,95 (~R$540,00), enquanto o kit sem o controlador é vendido por US$ 75 (~R$ 352,50). Para obter os materiais de iniciação ao Windows IoT Core, também é necessário ser membro do programa Windows Insider. Acesse o site da Microsoft para obter instruções e baixar os programas necessários.
Via Microsoft

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

CEO da Microsoft visita o Brasil e incentiva jovens a ensinar código

Satya Nadella, CEO da Microsoft, reforçou o compromisso da companhia com a educação de programadores e apoio a novos empreendedores, em sua primeira visita como líder da gigante de Redmond ao Brasil. “Queremos empoderar indivíduos e empresas para fazerem mais”, disse Nadella, em uma palestra a alunos da Faculdade Anhembi Morumbi, em São Paulo. A presença do diretor-executivo da fabricante doWindows 10 serviu de fechamento para a Windows Insights Week. 
Durante a visita, Nadella apresentou iniciativas como o DreamSpark, que disponibiliza pacotes de software gratuitos para algumas das maiores faculdades nacionais, e eventos como o Imagine Cup. O Cup é uma espécie de Copa Mundial de jovens empreendedores, realizada pela Microsoft desde 2003 e que já conta com uma série de equipes brasileiras entre os finalistas. 

Derrubar as barreiras de entrada

“A ideia é realmente fornecer o software, tecnologia e sistemas em nuvem para qualquer um criando uma companhia”, disse Satya Nadella. “Porque, de início, queremos que vocês façam o inimaginável sem o fardo do custo, queremos derrubar barreiras de entrada”, explica.
Para a plateia de alunos no auditório do Anhembi Morumbi, o CEO também lançou um desafio. “Cada um de vocês aqui que estão aprendendo tecnologia hoje tem uma responsabilidade real além do aprendizado: a de ensinar código”. O desafio de democratizar acesso à formação computacional, relata Nadella, passa também por gerar professores. “Todos vocês, que são apaixonados por tecnologia, não apenas deveriam aprender, também lhes encorajo a voltar aos seus bairros, voltar a lugares que ninguém vai, e ensinar”, disse.
O executivo recebeu no palco representantes de iniciativas parceiras, como a CDI que ensina computação e empreendedorismo digital para jovens carentes, e os responsáveis pelo eFit Fashion, projeto de um grupo da USP, que permite criação automatizada de moldes de roupa e vencedor do Imagine Cup em julho. Satya Nadella disse ainda acreditar no potencial inovador do país, e sugeriu: “Muitos (aqui) vão encontrar soluções que irão resolver problemas globais”, disse.
Satya Nadella falou também sobre a tecnologia de armazenamento em nuvem. Segundo o CEO, além de ser uma “mudança de paradigma” na forma como a companhia cria seus produtos, a tecnologia tem como valor principal a mobilidade. “Não mobilidade para um único dispositivo, mas mobilidade para as pessoas”, completa. “Isso é possível apenas pela nuvem”, encerra.
Ambiente de trabalho do futuro
O executivo também comentou a visão da Microsoft sobre o ambiente de trabalho do futuro, inserido em um mundo de computação densa e economias em retração. “Fundamentalmente, a natureza do trabalho está transitando da lógica de ferramentas pessoais para o diálogo em grupos”, diz Satya Nadella.
É uma filosofia interna que vem ganhando corpo com os últimos lançamentos da companhia: o Windows 10 funciona nativamente em uma gama de dispositivos, entre PCs, tablets e smartphones, enquanto o pacote Office 2016 traz na bagagem ferramentas de trabalho em grupo e facilita o compartilhamento de arquivos – nada de muito novo para quem usa serviços como o Google Drive, mas ainda assim um passo importante para a empresa no mundo da nuvem.
“Nós acreditamos que a tecnologia digital pode empoderar qualquer pessoa, mas pode ser amplificada ao conectar pessoas no contexto de organizações”, finaliza o CEO.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Nova falha de segurança no Android afeta mais de 1 bilhão de aparelhos.

Uma nova falha de segurança no Android pode afetar mais de um bilhão de pessoas no mundo. O bug, que está na forma como o sistema operacional processa arquivos multimídia, pode abrir caminho para ataques de hackers e infectar os aparelhos com vírus. A vulnerabilidade coloca em risco smartphones e tablets com todas as versões do Android até a 5.1.1 Lollipop. Divulgado nesta quinta-feira (01/10), o problema foi revelado em um relatório da empresa Zimperium, especialista em segurança digital.
Recentemente, o Stagefright, outro bug de grandes proporções no Android, teria afetado cerca de 950 milhões de usuários no mundo.
A nova brecha de segurança, na verdade, se assemelha muito ao Stagefright. Na descoberta, batizada de Stagefright 2.0, os pesquisadores encontraram falhas na maneira com que o Android processa os metadados de arquivos de áudio MP3 e vídeos em MP4, que podem ser explorados quando o usuário abre músicas e gravações em vídeo. A vulnerabilidade pode permitir que hackers enviem links que levem usuários a sites contaminados por malware, ambiente que abre caminho para mais códigos maliciosos no smartphone.
Tanto o bug descoberto em julho quanto o mais recente tiram proveito de falhas na biblioteca de mídia do Android, que já foi alvo de uma larga iniciativa de correções de segurança por parte do Google e grandes fabricantes, como Samsung e LG. Ela é tida como a maior atualização em massa já realizada em smartphones, em um esforço que se mantém até hoje com atualizações mensais. Segundo a Zimperium, uma correção do Stagefright 2.0 já é aguardada para 5 de outubro, apesar de a gigante de buscas ainda não ter se pronunciado publicamente sobre o novo caso.
“À medida em que mais e mais pesquisadores têm explorado as vulnerabilidades que existem dentro da biblioteca Stagefright e outras associadas, esperamos ver mais falhas na mesma área”, disseram os pesquisadores da Zimperium em seu relatório. “Muitos estudiosos dizem que o Google considerou alguns bugs reportados como duplicados, ou afirmou que já teriam sido descobertos internamente” dizem os especialistas.


Fonte: PC World

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

O que esperar da nova arquitetura de processadores da AMD?

Nos últimos anos, a AMD tem perdido terreno para a Intel quando o assunto é processadores de alto desempenho. Mas isso pode mudar a partir de 2016, quando a empresa americana vai lançar os novos CPUs com a arquitetura Zen. Saiba o que esperar da tecnologia e como isso pode impactar no mercado de PCs.
Em entrevista a um jornal de Austin, onde fica uma das fábricas da empresa, Suzanne Plummer, chefe da equipe do Zen, disse que é a primeira vez em vários anos que os engenheiros da AMD têm total liberdade para trabalhar em uma arquitetura de CPU. Isso pode significar que a empresa definitivamente abriu os cofres para o desenvolvimento e está disposta a retomar a liderança em processadores de alto desempenho.
Processadores Zen podem acirrar disputa entre AMD e Intel (Foto: Divulgação/AMD)Processadores Zen podem acirrar disputa entre AMD e Intel (Foto: Divulgação/AMD)
Maior performance
Em uma conferência para investidores em maio, a AMD revelou alguns detalhes sobre os novos processadores Zen. E as informações são animadoras. De acordo com os gráficos, as CPUs Zen tem 40% mais instrução por clock do que os chips “Excavator”. Isso quer dizer que trabalhando em uma mesma frequência a quantidade de cálculos é bastante superior do que o modelo da geração atual.
Menos núcleos, mais eficiência
Construído em um processo de fabricação de 14nm na arquitetura x86, a AMD vai apostar em mais eficiência por núcleo do que uma maior quantidade de cores. O responsável por isso é o Multithreading Simultâneo (SMT, na sigla em inglês), semelhante a Hyperthreading da Intel.
Cache
Na conferência para investidores foi apresentado um gráfico de um processador de quatro núcleos, com um cache L2 de 512KB para cada core e um cache L3 total de 8MB. A memória cache será baseada na nova tecnologia HBM, a mesma utilizada nas novas placas de vídeo Radeon.
Controlador e socket
Os novos chips Zen terão suporte às memórias DDR3 assim como ao novo padrão DDR4. Além disso eles terão suporte a PCI Express 3.0, para uma melhor integração às novas placas de vídeo. O socket será o novo AM4.
Eficiência energética
Os processadores da linha Zen contarão com o processo de fabricação FinFet. A tecnologia consegue manter a eficiência do processador trabalhando em uma tensão menor. Ele terá apenas 95w de TDP.
Data de lançamento
Ainda não há informações sobre a data exata de lançamento e nem o preço dos primeiros processadores da linha Zen. É esperado que os novos processadores cheguem ao mercado no final de 2016.

 Fonte: TechTudo e AMDMy States Man ,PC Gamer

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Conheça alguns atalhos do seu teclado.

Os atalhos para teclados deixam as ações mais rápidas no computador. Pressionando apenas duas ou três teclas é possível abrir uma nova janela privada ou aba no navegador, acessar o gerenciador de tarefas no PC ou até alterar configurações mais complexas.
1) CTRL + ALT + TAB
Abre o alternador de janelas e programas abertos no computador. Dessa forma os usuários podem acessar as funções de forma mais rápida.
teclado (1) (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
2) CTRL + SHIFT + N
Abre uma janela no modo privada no navegador Google Chrome. O recurso permite usar a Internet sem acumular cache ou histórico dos sites acessados.
Atalho CTRL + SHIFT + N no teclado do Windows (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
3) CTRL + SHIFT + P
Abre uma janela no modo privada no navegador e funciona para o Mozilla Firefox e o Internet Explorer. Assim, o acesso de sites pelo browser não guarda históricos, senhas ou demais dados no PC.
Atalho CTRL + SHIFT + P no teclado  (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
4) CTRL + T
Abre uma nova aba no navegador e funciona no Google Chrome, Firefox e Internet Explorer. O usuário não precisa perder tempo clicando no item, caso precise buscar algo com mais rapidez.
Atalho CTRL + T no teclado (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
5) CTRL + ALT + DELETE
Acessa a Central de Segurança do Windows. Por lá o usuário pode desligar e reiniciar o computador, acessar o Gerenciador de Tarefas e ainda fazer logoff. Importante função quanto o computador trava, por exemplo.
Atalho CTRL + ALT + DEL para teclado (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
6) CTRL + SHIFT + ESC
Abre o Gerenciador de Tarefas do Windows direto. O recurso permite finalizar e iniciar programas e serviços no computador, além de manter controle de tudo o que está sendo executado no Windows.
Atalho CTRL + SHIFT + ESC para teclado Windows (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
7) CTRL + TAB
Modo rápido para Alternar entre as janelas do navegador. O atalho funciona para Chrome, Firefox e Internet Explorer.
Atalho CTRL + TAB para teclado  (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
8)  CTRL + 1
Acessa a primeira aba do navegador. A função pode ser usada no Chrome, Firefox e Internet Explorer e permite que o usuário vá diretamente para a primeira aba aberta no browser, de forma rápida.
Atalho CTRL + 1 (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
9) CTRL + 9
Acessa a última aba do navegador. O atalho está disponível para Chrome, Firefox e Internet Explorer e deixa a função de navegação entre as abas mais rápida: não precisa perder tempo para acessar o último item.
Atalho CTRL + 9 para teclado (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
10) CTRL + Esc
Abre Menu Iniciar diretamente. A função é importante para buscar programas e recursos do Windows, de forma rápida.
Atalho CTRL + Esc para menu iniciar  (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
11) ALT + F4
Fecha a janela ou programa. Acabou de usar algum serviço? Então o atalho vai encerrar a página sem precisar se preocupar. Ele pode ser repetido para todas as funções populares: fechar programas, navegadores e mais.
Atalho ALT + F4 para fechar janelas (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
12) F2
Renomeia arquivos e/ou pastas. Com o atalho, o usuário precisa clicar no arquivo de foto, vídeo e demais itens e selecionar F2 para digitar um novo nome.
Atalho F2 para renomear arquivos e pastas (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
13) Shift + F3
Transforma maiúsculas e minúsculas no Microsoft Word. O atalho é prático na hora de escrever textos, substituindo todos os de minúsculas para maiúsculas, e o contrário. Se pressionado diversas vezes, o usuário ainda pode manter apenas a primeira letra em Caps Lock.
Atalho Shift + F3 para alternar entre letras em Caps Lock (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
14) F11
Deixa o navegador em tela cheia. Ideal para quem está precisando navegar sem distrações ou precisa visualizar sites de forma mais ampla. Para desativar, basta pressionar a tecla novamente.
Abrir em tela cheia com atalho F11 (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
15) CTRL + F
Busca palavras-chave. A função é bem popular, funcionando em diferentes navegadores e programas. Assim o usuário encontra termos específicos com o atalho simples.
teclado 17 cópia.jpg (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
16) CTRL + N
Abrir nova página do navegador. A função pode ser usada no Chrome, Firefox e Internet Explorer, caso precise abrir uma nova janela, com comandos rápidos.
Atalho CTRL + N do teclado (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
17) F1
Abra a página de ajuda/suporte. Está precisando de uma ajuda com determinado programa? A tecla F1 é um atalho bem útil e pode ser usado em navegadores e softwares, para acessar a tela de suporte.
Atalho F1 para obter ajuda (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
18) Windows + L
Bloqueia o computador de forma rápida. Dessa forma, será necessário digitar a senha novamente para acessar seu perfil no Windows, sem perder os documentos abertos. Ideal para quem vai se afastar por algum tempo da máquina e não quer deixar os arquivos vulneráveis.
Windows + L bloqueia o computador (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
19) CTRL + A ou CTRL+T
Seleciona todo o texto. O recurso pode ser usando na barra de endereços do navegador, em sites e nos mais diversos programas. No Word ele funciona como CTRL + T.
CTRL + A ou CTRL +T para selecionar todo o texto (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)CTRL + A ou CTRL +T para selecionar todo o texto (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
20) CTRL + C e CTRL + V
Copia e cola o conteúdo. A função pode ser usada para texto, imagem ou arquivo. É pratico para copiar uma música e passar para outra pasta, por exemplo, sem perder o original.
Atalhos para copiar e colar elementos no Windows (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
21) CTRL + Z
Retorna a ação anterior. A função também é conhecida e recupera texto e arquivos apagados.
Atalho CTRL + Z no computador (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)
22) CTRL + Shift + Del
Limpa o cache do navegador. Com compatibilidade com o Chrome, Firefox e Internet Explorer, o atalho abre a tela para a limpeza de cache. Dessa forma, é possível deletar os arquivos temporários ou inúteis, que podem deixar seu computador lento.

Atalho para limpar o cache dos navegadores (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)


FONTE: TechTudo